quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PIP: Transformando vidas por meio da ciência na escola

A Escola Estadual Stella Gonçalves, localizada na Guarita, Alecrim, esteve prestes a fechar as portas. A realidade de violência e tráfico de drogas ao redor da instituição levou muitos pais a tirarem seus filhos da escola e as aulas que antes aconteciam em três turnos, ficaram somente pela manhã. Mas, nos dois últimos anos, este cenário começou a mudar. A escola foi contemplada com  Projeto de Inovação Pedagógica (PIP) do Governo do RN, o que contribuiu para melhorar o desempenho da escola e hoje tem suas vagas disputadas pelos moradores da região.
“A escola tinha perdido muito a credibilidade. Mas com este projeto e o esforço da equipe pedagógica, está voltando a ter visibilidade. Os pais estão mais participativos e a comunidade está mais envolvida”, conta a dona de casa Rose Maria, mãe de Vitória, 8 anos, aluna da terceira série.
A representante dos pais no Conselho Escolar, Adriana Baracho, tem uma filha e uma neta estudando na Stella Gonçalves. Ela conta que há alguns anos a instituição sofreu com a evasão dos alunos devido à violência na vizinhança. Hoje em dia esse problema não assusta mais. “Aqui é tão seguro que a polícia não precisa fazer ronda no entorno da escola. Os pais querem que os filhos estudem aqui e disputam uma vaga todo ano”, relata.
No último mês, a instituição inaugurou o laboratório interdisciplinar com os recursos do PIP. Um ambiente criado para o professor realizar intervenção multidisciplinar com foco na ciência, com realização de réplicas da anatomia humana, experiências químicas, jogos matemáticos e inserção na leitura com livros literários. O espaço também conta com equipamento de multimídia para o desenvolvimento educacional dos estudantes.
A diretora da Stella Gonçalves, Mayra Oliveira, diz que com a chegada do laboratório, vai ser possível oportunizar aos alunos a iniciação científica, algo tão relegado a segundo plano no Brasil nos dias atuais. “Quando pensamos no laboratório, queríamos que os alunos tivessem contato com a parte prática. E nesse movimento de ter contato com o objeto, eles adquirem mais conhecimento. Com isso mudaremos os índices de aprendizagem da nossa escola”, projeta.
O laboratório foi construído para ser usado especificamente pelos estudantes do quarto e quinto ano, mas toda a comunidade escolar fará uso da estrutura. Segundo Mayra Oliveira, os pais dos alunos têm aprovado a nova realidade vivida pela instituição. “Só temos ouvido parabéns e desejos de que a escola continue buscando boas oportunidades”, registra.
Com a inauguração do laboratório, cresceu a expectativa em torno da abertura de um novo turno de aulas – o vespertino. “Antes tínhamos os três turnos, mas a escola foi morrendo aos poucos. As pessoas deixaram o bairro devido à insegurança e depredação da escola. Mas com este projeto tivemos um levante. A comunidade viu que a escola estava sendo vista pelo Governo do Estado e hoje já temos proposta para o turno da tarde e quem sabe o noturno não volta também?”, acrescenta.
O laboratório é interdisciplinar, logo os estudantes poderão ter aulas de todas as matérias no local. Na matemática, os jogos lógicos; em química, farão experimentos e poções; nas ciências humanas, irão conhecer todos os órgãos do corpo humano em miniatura e em tamanho real; na geografia e história, irão aprender com os livros, mapas e globo. Na linguagem, títulos didáticos e clássicos da literatura estão disponíveis para exercitar a língua portuguesa. Há ainda equipamento multimídia com data show para assistirem a filmes e realizarem videoconferências.
“Enquanto comprávamos o material ouvíamos de muita gente que até em escola particular era difícil encontrar um laboratório tão bem montado. Nosso objetivo é que a educação pública tenha essa qualidade. Estamos buscando a excelência, para que a escola seja vista para além dos muros”, enfatiza Mayra.
 


PIP - Escola realiza Audiência Pública com a temática Resíduos Sólidos


Na execução das ações do PIP - Projeto de Inovação Pedagógica, a Escola Estadual Professor Antônio Dantas realizou na manhã do sábado do dia 22/07/2017, uma audiência pública para tratar, junto às autoridades e instituições locais, sobre um dos grandes problemas enfrentados pela sociedade moderna: "Resíduos sólidos de Apodi: destinação e como gerenciar". O evento que aconteceu no auditório do STTR - Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais, foi organizado pela equipe pedagógica e docentes da Escola, tendo como público alvo os alunos matriculados na 1ª série do Ensino Médio, e contou com total apoio da equipe gestora.
O professor Samuel Souza, coordenador do PIP, atuou como mediador entre a mesa diretora (autoridades e entidades representadas) e a plenária (alunos e professores). Além de expor suas considerações sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido, o professor apresentou um vídeo ilustrativo acerca da Lei 12.305/2010, Lei dos Resíduos Sólidos. Aldeniza França, coordenadora pedagógica da Escola Antônio Dantas, fez uma breve explanação do projeto "Sustentabilidade e Educação Ambiental: repensando os saberes escolares". O tema meio ambiente está inserido na proposta pedagógica da escola desde 2002, e ao longo dos anos tem sido ampliado, visando melhorar o comportamento dos estudantes, alertando-os para os impactos do lixo aos ecossistemas.
Estiveram presentes na audiência, prefeitos, vereadores, secretários de educação, de urbanismo e de agricultura do município e, representantes de várias entidades como: Pastor de igrejas, presidente do STTR, representante do SINTE/RN e SINTRAPMA, entre outros. Todos deram suas contribuições.
Na ocasião, o diretor da escola, Juvanci Gomes, apresentou o projeto desenvolvido por alunos da 3a série, um aplicativo que auxilia os moradores da cidade sobre administração do lixo doméstico. Para finalizar, agradeceu a presença e participação de todos os envolvidos e deixou claro o desejo de firmar parcerias para futuras propostas.

PIP - Projeto Astronomia e Astronáutica - Visita ao CLBI


No último dia 30 de setembro, cerca de 90 alunos da Escola Estadual Professor Antônio Dantas, que estão inseridos no Projeto Astronomia e Astronáutica, visitaram o CLBI - Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, a base da Força Aérea Brasileira para lançamentos de foguetes, fundada em 1965, que está localizada em Parnamirim (RN) e se tornou a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Na oportunidade, os estudantes foram recepcionados pelos militares e logo em seguida assistiram a uma palestra a respeito do funcionamento da base, bem como sobre o objetivo principal de fortalecer a missão institucional do CLBI com a atividade de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Sob a coordenação do Professor Givanilson Caetano, responsável pelo projeto, e acompanhados de alguns professores, os alunos conheceram as instalações do complexo, e ainda presenciaram o sucesso de mais um lançamento de FTB - Foguete de Treinamento Básico.
A caravana finalizou a atividade que faz parte de uma ação do PIP - Projeto de Inovação Pedagógica, com um passeio pela orla da capital potiguar e visita ao "Aquário Natal", que fica no município de Extremoz. O aquário tem cerca de 200 animais de 60 espécies diferentes, como tubarão, moreias, peixes de corais, cavalos marinhos, além de pinguins, jacarés, pirarucu, entre outros.A EEPAD em mais uma missão pedagógica, que proporcionou o enriquecimento e ampliação de visão de mundo para quase 100 estudantes. Fica a satisfação em levar novas vivências e experiências incríveis aos educandos, e o desejo de que haja mais investimentos do Governo para viabilizar o acesso ao conhecimento além dos muros da Escola para todos os nossos alunos.


domingo, 1 de outubro de 2017

PIP - MOSTRA DE ARTES PROMOVE VIAGEM AO PASSADO RESGATANDO RELÍQUIAS TECNOLÓGICAS

Aconteceu no dia 29 de setembro a 2ª Mostra de Artes, Ciências e Tecnologia da Escola Estadual Professora Maria Ilka de Moura, no Bairro do Bom Pastor – Natal RN. A mostra apresentou o resultado dos trabalhos dos alunos fomentados por meio do PIP – Projeto de Inovação Pedagógica desenvolvido na Escola desde o início do ano letivo 2017. Durante o evento que contou com a participação efetiva dos alunos dos 6º aos 9º anos, além de professores, familiares e toda a comunidade escolar foi possível conhecer um pouco mais da cultura do nosso povo por meio da culinária, com degustação de comidas típicas, entre outras tradições que se externaram nas danças e exposições diversas como: cultura afro brasileira e nordestina, ciências, saúde e bem estar. Além dos jogos matemáticos produzidos pelos próprios alunos, com uma interface na língua portuguesa, inglesa e artes. A mostra possibilitou ainda uma viagem ao passado, resgatando relíquias tecnológicas que compuseram o cenário das décadas de 20 até os anos 90, provocando uma reflexão dos avanços adquiridos até a atualidade. Motivados pelos professores os alunos fundamentaram todos os trabalhos na leitura, escrita e reescrita dos temas abordados na mostra, fruto da proposta do PIP para o ano letivo 2017.

 
 


 

 

Jaiane Dantas da Silva
Coordenadora Pedagógica da Escola

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

PIP - A Escola Estadual Moreira Dias Desenvolve Atividade de Cidadania



A Escola Estadual Moreira Dias desenvolve atividades diferenciadas de acordo com a proposta do PIP, envolvendo família e alunos, objetivando reforçar laços e parcerias entre ambos. Neste mês de setembro foram trabalhados os temas Setembro Cidadão e Setembro Amarelo, entre outras atividades desenvolvidas. A culminância aconteceu no último dia 23, com um bate-papo entre professores, pais e alunos. Dentro da perspectiva de se resgatarem a ética e os valores de nossa sociedade, os professores abordaram de maneira simples e envolvente o subtema "A cultura do jeitinho brasileiro: dos maus hábitos à ilegalidade". Após o bate-papo, os alunos apresentaram poesias e dramatizações relacionadas ao assunto em questão. Contamos também com a colaboração do Ex-aluno Fabiano Show, que a despeito de ter uma deficiência física, segue com desenvoltura na carreira de cantor. Ele falou sobre sonhos e superação para os alunos.